Enfeite seu coração! Automaticamente estará enfeitando você! Heloísa Lugão

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A mesma dor que dói é a mesma dor que ensina

Não, eu não gosto de sofrer. Odeio sentir dor, seja ela física ou sentimental. A dor física ainda dá pra resolver com um remedinho, mas a dor sentimental não. Ainda não disponibilizaram nas farmácias perto da minha casa um remedinho para curá-las.
Se tem uma coisa que mais gosto na minha personalidade é que consigo ver o lado bom dá dor. Pode não ser no auge da angústia, porém uma hora eu sei que verei o lado bom dela.
Sabe aquela frase “o que não me mata me fortalece”? Então, ela é minha!
Eu vou sofrer, sentir muita dor, vontade de querer arrancar meu coração fora, vou me revirar toda na cama de tanta aflição, vou chorar até não querer mais, vou dormir chorando, acordar chorando (o choro pode ser interno), contudo, terá uma hora que vou cansar disso tudo e vou querer enfrentá-la e passarei a ver o lado bom da dor.
Não tenho paciência para sofrer. Meu tempo é muito curto pra ficar sentindo dor. Só tenho 24 horas por dia e sofrer seja lá um minuto se quer é muito pra mim.
Não podemos correr dos problemas, mas da dor até que dá. No entanto, antes de correr da dor temos que identificá-la e olhar o lado positivo dela. Não adianta me dizer que a dor não tem lado bom, me diga o motivo da sua dor e te mostrarei mil coisas boas que você terá com ela. Você se fortalece, tem novas experiências, conhece coisas novas, enfim, a dor também é boa.
Como não gosto de sentir dor procuro fazer algo que me faça esquecê-la, algo que amenize. Comigo essa história de ler, ver filme, comer chocolate em tempos de dor não dá. Meu negocio mesmo é algo que seja agitado, acho que à medida que as coisas vão se agitando a dor vai saindo de mim. Nessas horas o calmo não me acalma. O negócio mesmo pra aliviar a dor é fazer algo que você gosta, algo que você sabe que vai te ajudar. É fazer algo mesmo sem vontade.
É lindo olhar pra trás e ver o que enfrentou, a dor que passou, o quanto sofreu e agora está aqui... De pé, fortalecida.
Já fui de fugir da dor e do problema, hoje encaro eles aqui de peito aberto. Não tenho medo, não tenho receio, pode vir de novo. Não tenho mais medo do novo e nem do recomeçar, que alias é uma das minhas especialidades.
Doeu, aprendi e vou começar de novo e de novo e de novo e vou começar de novo quantas vezes for preciso e pode vir à dor que vier que estarei aqui pronta pra sentir e ver o lado bonito dela.

Um comentário:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi flor!

Admiro muito essa garra!
E que bom que é possível aprender com a dor.
Desejo uma semana iluminada!

Beijos

Selma